sábado, 18 de abril de 2009

A igreja católica, o aborto, e o respeito pela vida

Agora eu vou noticiar um assunto que ficou bastante polêmico durante o mês de março desse ano: O caso que ficou famoso do arcebispo de Olinda e Recife, Dom José Cardoso Sobrinho, no qual esse mesmo arcebispo excomungou uma equipe médica que realizou um aborto numa menina de 9 anos, vítima de estupro pelo padrasto e grávida de gêmeos. Abaixo está o link original da notícia em "O Globo":

http://oglobo.globo.com/pais/cidades/mat/2009/03/05/arcebispo-excomunga-medicos-parentes-de-menina-que-fez-aborto-depois-de-ser-estuprada-754695278.asp

Como pode-se ver, o aborto foi realizado em condições legais, isto é, permitidas por lei, que são em caso de estupro e em caso de gravidez de alto risco. A situação dessa garota se encaixa não apenas em um caso, mas em ambos. Além disso, tanto a menina como a mãe dela, católica devota foram devidamente aconselhadas por um grupo de psicólogos, médicos e assistentes sociais. Porém, assim que Dom José ficou sabendo, ele comunicou a excomunhão da equipe médica. Comunicou, porque a excomunhão em si foi do tipo latae setentiae, isto é, no ato.

É notável como essa notícia teve repecurssões no Brasil e no exterior. Aqui no Brasil, apenas o presidente da república e o ministro da saúde se manifestaram abertamente. Muitos outros políticos vieram a sussurrar reprovações, mas nada em aberto:

http://www1.folha.uol.com.br/folha/cotidiano/ult95u530525.shtml

Agora, o leitor do meu blog deve estar pensando em qual seria a minha opinião a respeito disso. Muitos dos que me conhecem poderiam pensar que, sendo eu ateu, eu teria uma opinião formada pra me expressar contra a igreja católica. Mas não é o caso. Eu tenho uma opinião muito parecida a do médico Dr. Dráuzio Varella, aquele muito famoso por ter escrito o livro "Carandiru", e ter aparecido em quadros no fantástico, que além de ser médico, é ateu como eu. Ele disse que "a igreja está sendo coerente, em excomungar os médicos e não excomungar o estuprador da garota, pois ela(igreja) não excomunga nem seus estupradores".

http://g1.globo.com/Noticias/Brasil/0,,MUL1031860-5598,00-ARCEBISPO+DIZ+QUE+SUSPEITO+DE+VIOLENTAR+MENINA+NAO+PODE+SER+EXCOMUNGADO.html

Em essência, o texto do Dr. Varella embora não condene a igreja por seguir o código canônico, critica o comportamento possessivo e incisório dela em cima do estado brasileiro, não bastando para ela aconselhar os seus fiéis, mas impor-se sobre quem não partilhe de sua fé:

http://g1.globo.com/Noticias/Brasil/0,,MUL1027750-5598,00-ADVOGADO+DE+IGREJA+VAI+DENUNCIAR+MAE+DE+MENINA+GRAVIDA+AO+MP.html

Abaixo, o leitor poderá ver o texto íntegro do Dr. Varella sobre o caso, como também parte do trecho de um programa onde ele comenta o mesmo:

http://integras.blogspot.com/2009/03/incoerencia-catolica.html



Muitos católicos podem ver a declaração do arcebispo Dom José como sendo infeliz, como foi o caso do presidente da Academia Pontifícia para a Vida, Monsenhor Rino Fisichella, que em declaração oficial disse que a excomunhão dos médicos e da mãe da menina foi "apressada", e que "Era mais urgente salvaguardar a vida inocente e trazê-la para um nível de humanidade, coisa em que nós, homens de igreja, devemos ser mestres. Assim não foi e infelizmente a credibilidade de nosso ensinamento está em risco, pois parece insensível e sem misericórdia".

http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2009/03/090314_vaticanoabortoav.shtml

Porém, isso é tudo que o Monsenhor poderia ter dito, pois como o Dr. Varella já disse, a igreja católica é uma instituição medieval, que expulsa todos os seus dissidentes. Se o Monsenhor Rino Fisichell ousasse dizer que o aborto não deveria resultar em excomunhão nesse caso, ele é quem provavelmente seria excomungado.

Por isso, termino esse post com um aviso, um alerta, para quem se diz católico, mas não segue todos os aspectos de uma vida religiosa católica determinada pelo vaticano. Você, que é católico, mas usa camisinha e faz sexo antes do casamento. Você, que é católico, mas não vai à missa. Você, que é católico, mas não vê necessidade de se confessar. Você, que é católica, mas defende o direito de uma mulher abortar se precisar. Você, que é católico, e enviou mensagens de repúdio do arcebispo. Você, que se diz católico por pura e simples inércia de criação, que nunca fez primeira comunhão, nunca se confessou e só pisou na igreja pra se casar.

O meu alerta é que você está sendo seletivo em relação à igreja católica, mas eles não estão sendo seletivos em relação a você. Como instituição, eles não se importam com o que você pensa sobre o código canônico deles. Eles não se importam com o que você quer que eles façam. Eles não se importam se a sua vida, ou a vida da sua filha, está em risco, eles apenas se importam com a sua lei de preservar a vida, mesmo que para preservar uma vida, tenham que eliminar outra. E isso, como instituição, não como indivíduos. Provavelmente devem haver dissidentes dentro do vaticano em sintonia maior com o Zeitgeist da nossa época, mas esses nunca terão voz para se manifestar, e se o fizerem, serão devidamente removidos da instituição(É isso o que excomunhão significa, afinal).

Pense, você que é católico por inércia, no que realmente significa ser católico. Procure conhecer melhor a sua religião. E reflita, ao menos uma vez, se você realmente desejar fazer parte dessa instituição. Para quem deseja acompanhar a lista história desse caso polêmico, aqui vai o link:

http://e-paulopes.blogspot.com/2009/03/caso-da-gravidez-e-aborto-da-menina.html

E quanto ao arcebispo, o que aconteceu com ele?

Um comentário:

Angel disse...

Concordo em gênero, número e grau.
=D~~Ainda existem pessoas normais nesse mundo. hauhauhau