sexta-feira, 18 de setembro de 2009

Recapitulando os anos

Faz um bom tempo que não posto aqui, e acho que isso se deve ao fato de eu ter me distanciado nos últimos meses da vida real. Fiquei fazendo coisas que há muito tempo não fazia, seja por falta de tempo, ou por medo de comprometimento. Acabei meio que deixando o blog às moscas, embora não tivesse essa intenção. É que o tempo passa rápido, quando não se tem um objetivo definido na vida.

Finalmente, depois de muitos anos, eu consegui, com muito esforço, me formar. Me formei nesse semestre passado, na Universidade de Brasília, no curso de Ciências da Computação. Aprendi muitas coisas lá, fiz muitas relações de companheirismo, criei coisas novas (ou quase), e encontrei a verdadeira face da ciência. Foi muito legal, mas ao mesmo tempo, difícil, desafiante, e no final, recompensador. Muito recompensador, de uma sensação de tamanho tal que eu não acho que existam palavras para descrever.

A minha colação foi no dia 24/08/09. Eu não estava particularmente animado em participar da cerimônia, porque tinha terminado o meu curso com uma sensação estranha, a de que eu não obtive o sucesso que queria no meu trabalho final, e portanto, não consegui contribuir significativamente para o avanço do corpo científico da humanidade. Mas, olhando em retrospecto, vejo hoje que isso foi balela.

A cerimônia transcorreu sem maiores problemas. Cerca de 18:30 eu cheguei no centro comunitário da UnB, 19:00 eu entrei na parte exclusiva dos formandos, para retreinar o processo da cerimônia, junto com todo o resto deles. Rapidamente, a moça explicou que a cerimônia na nossa vez, seria rápida, sem beijinhos, e abraços, por receio em relação a gripe H1N1. Todo mundo aplaudiu. Depois, ela falou que o aluno que queria ler um trecho da bíblia durante a cerimônia teve o seu pedido negado, provavelmente por falta de tempo. Acho que fui o único que aplaudiu. Aí, começou a cerimônia, assim que o relógio bateu 20:00.

A cerimônia seguiu-se de modo rápido, com os alunos de computação, matemática e estatística entrando, recebendo os graus de bacharel e licenciado, os discursos seguindo-se, e por fim, o recebimento do diploma. Foi nesse momento, que eu percebi o real significado por trás dessa cerimônia. Não era apenas um ato de passagem e graduação. Era um ato de aprovação pública. Ao apertar as mãos de cada professor que deu aula pra mim, e cada funcionário que me atendeu, eu pude sentir uma sensação de aprovação sublime que não pode ser descrita claramente em palavras. Foi como vivenciar os meus anos de vida dentro da universidade em poucos minutos, recapitular os momentos de minha vida lá dentro. Não pude deixar de umedecer os olhos, e me emocionar com tudo isso.

Não muito tempo depois, eu fui na formatura de um amigo meu da biologia, que ocorreu no dia 10/09/09. De um modo geral, ela foi similar a minha, com todas as etapas da formatura ocorrendo passo a passo, só que dessa vez, eu era o espectador. Foi divertido, foi emocionante, mas mais do que isso, foi surpreendente vê-lo ser convidado para discursar no palco, como ocorre típicamente. E ele fez um discurso bonito, que disse ser em parte improvisado. A íntegra do discurso dele pode ser vista:

http://www.elivieira.com/2009/09/discurso.html

No final, ele diz que "não trocaria o que vivi com vocês nem por todos os diamantes do mundo". Eu concordo com isso, mas vou além. Durante a conclusão do meu curso, eu cheguei a conclusão que o maior bem que um ser humano pode possuir, é o tempo. Digo isso, porque não há como se "obter" tempo de qualquer lugar, você, usando o seu tempo livre, pode obter qualquer coisa, desde dinheiro a estatus ou mesmo fama. Mas o inverso nunca é válido. O máximo que você pode fazer é reduzir o seu gasto de tempo. Pensando nisso, eu posso falar, sem medo de estar errado:

O tempo que eu gastei com os meus amigos, colegas, professores e funcionários foi o maior e melhor investimento de toda a minha vida!

2 comentários:

suspensaodejuizo disse...

Poxa, Byuu, que texto ótimo! Fiquei tocado :)

De qualquer forma, parabéns de novo! Você merece, cara! E merece todo sucesso também!

Eli Vieira disse...

Bom rememorar este momento contigo. Abraços!